Doenças condições de cães

Prurido (coceira) em cães

Prurido (coceira) em cães

Visão geral do prurido (coceira) em cães

Se o seu cão passa grande parte do tempo coçando, ele pode ter uma condição conhecida como prurido ou coceira, uma sensação desagradável que faz com que ele se coça ou se morda. É causada por reações químicas que ocorrem na pele e estimulam os nervos, fazendo com que o cérebro sinta a coceira. De fato, o ato de se coçar pode estimular essas reações inflamatórias na pele e piorar a condição. Qualquer condição da pele que cause inflamação pode causar prurido.

Como o prurido afeta a saúde do seu cão depende do grau do prurido. Prurido leve dificilmente pode ter algum efeito. No entanto, prurido grave leva a arranhões intensos, o que pode resultar em lesões cutâneas dolorosas que podem ser infectadas. Seu cão costuma choramingar ou gritar e pode ter problemas para dormir.

Todo cão tem um limiar de prurido ou um "limiar de coceira". Esse é o ponto em que todas as fontes de coceira finalmente somam irritação suficiente para causar o desejo irresistível de coçar. O risco começa quando a estimulação excede esse limite. Por exemplo, um cão com uma alergia leve a ácaros da poeira doméstica pode estar abaixo do limiar, mas pode começar a coçar severamente quando fica infestado de pulgas.

O prurido está associado a outras doenças de pele, incluindo infecções cutâneas bacterianas secundárias (pioderma) e infecções secundárias por leveduras. Mas é o principal sintoma de doenças da pele, como alergias e parasitas da pele.

O que assistir

  • Coçar ou morder. Se isso continuar além de um dia e levar a lesões como perda de cabelo, vermelhidão da pele e dor ou desconforto óbvio, faça com que seu cão seja avaliado pelo seu veterinário.
  • A lambida crônica dos pés também é um sintoma de prurido.
  • Diagnóstico de Prurido em Cães

    Testes de diagnóstico podem ser necessários para determinar a causa do prurido. Seu veterinário provavelmente fará o seguinte:

  • Uma história médica completa e completa
  • Um exame físico completo
  • Raspas de pele para descartar ácaros da sarna e outros parasitas
  • Culturas fúngicas do cabelo para descartar dermatófitos (micose)

    Tratamento de prurido em cães

    A chave para o alívio do prurido é identificar e tratar a causa subjacente. O prurido pode ser aliviado temporariamente com a medicação, mas o prurido geralmente ocorre após o término da medicação. O alívio temporário pode vir do seguinte:

  • Anti-histamínicos
  • Suplementos de ácidos graxos
  • Shampoos calmantes
  • Corticosteróides
  • Home Care

    Administre todos os medicamentos veterinários prescritos conforme as instruções do seu veterinário. Consulte seu veterinário para estabelecer um programa completo de controle de pulgas.

    Mantenha o pêlo do seu cão limpo e sem escovas.

    Para obter mais dicas - vá para Home Care of the Itching Dog.

    Informações detalhadas sobre prurido (coceira) em cães

    Doenças Relacionadas

    Muitas doenças de pele podem causar ou contribuir para o prurido. Todo cão tem um limiar de prurido. Quando os nervos da pele são estimulados por mediadores da inflamação a um nível abaixo desse limiar, o cão não arranha. O risco começa quando a estimulação excede esse limite. É comum ver cães com duas ou mais doenças de pele que causam prurido simultaneamente. Por exemplo, um cão com uma alergia leve a ácaros da poeira doméstica pode estar abaixo do limiar, mas pode começar a coçar severamente quando fica infestado de pulgas.

    Doenças Alérgicas da Pele

  • A alergia à pulga é a doença alérgica da pele mais comum nos Estados Unidos. Cães com alergia a pulgas tendem a coçar as costas, causando lesões na garupa, nas patas traseiras, na cauda e na barriga. Uma vez que são necessárias apenas uma pulga para que o cão reaja, a presença de pulgas no cão pode ser mínima ou ausente.
  • A atopia é uma reação a alérgenos no ar, como pólens, poeira doméstica, ácaros e fungos. Cães com atopia tendem a coçar as orelhas e o rosto e a mastigar e lamber os pés. A condição geralmente é pior nos meses de verão, quando os níveis de pólen e mofo aumentam.
  • A alergia alimentar é uma reação a um ou mais ingredientes presentes na comida. Esses cães tendem a coçar nos mesmos lugares que aqueles com atopia.
  • Alergias a insetos (hipersensibilidade à picada de inseto) são menos comuns que outras alergias. As lesões são evidentes em áreas onde é provável que picadas de insetos, como mosquitos (ponte do nariz, orelhas).
  • A alergia de contato é uma reação a um irritante que toca a pele, geralmente a barriga ou o peito. Alergias deste tipo são raras.
  • Doenças Parasitárias da Pele

  • A sarna é uma condição de pele intensamente pruriginosa causada pelo ácaro da sarna sarcóptica. Lesões são vistas nas orelhas, cotovelos e jarretes (tornozelos).
  • A sarna demodécica é causada pelo ácaro demodex. Geralmente é uma doença de cães jovens e causa dramática queda de cabelo e dermatite. Essa doença geralmente não é pruriginosa, mas pode levar a uma infecção bacteriana secundária da pele (pioderma), que pode causar coceira.
  • As pulgas podem causar prurido em cães que não são alérgicos a pulgas, embora o grau de prurido seja menos grave.
  • A queyletiellosis é uma condição de coceira na pele causada pelo ácaro da cheyletiella. As lesões são geralmente mais dramáticas na parte superior das costas. Esses ácaros são às vezes visíveis a olho nu como pequenas manchas brancas em movimento, daí o nome "ácaro da caspa".
  • Os piolhos são pequenos insetos que são facilmente vistos a olho nu e podem causar prurido.
  • Ácaros da orelha causam coceira nas orelhas em cães e às vezes podem causar coceira em outras partes do corpo.

    Existem muitas outras causas de prurido, incluindo infecções bacterianas secundárias da pele (pioderma) e infecções secundárias por leveduras.

  • Diagnóstico em profundidade de prurido em cães

    A chave para o tratamento do prurido é identificar e tratar a causa subjacente. Seu veterinário pode querer realizar alguns testes de diagnóstico para determinar a causa do prurido. Os testes podem incluir:

  • Uma história médica completa. Uma história médica completa é a base para o diagnóstico de qualquer condição dermatológica. A raça do seu cão, a idade, o início dos sintomas, a duração dos sintomas, a gravidade, a estação em que o problema ocorre e a resposta a medicamentos anteriores são pistas importantes.
  • Um exame físico completo. Um exame geral e cutâneo completo que inclua a pele, orelhas, patas e garras é igualmente importante. Ao contrário da maioria dos sistemas orgânicos, a pele pode ser observada diretamente. Portanto, o que o veterinário vê é de valor no estabelecimento de um diagnóstico. Seu veterinário geralmente procurará lesões primárias (aquelas causadas diretamente pela doença) e secundárias (aquelas causadas pela resposta do seu cão à doença). A distribuição das lesões no corpo do seu cão é fundamental para o diagnóstico, uma vez que os animais tendem a se coçar em determinadas áreas com certas doenças. Além disso, um pente de pulgas é frequentemente usado para procurar pulgas, sujeira de pulgas ou outros parasitas.
  • Raspas de pele. Raspas de pele são comumente feitas para diagnosticar parasitas da pele. Uma lâmina de bisturi é usada para raspar as camadas da pele que são examinadas ao microscópio quanto a ácaros da sarna e outros parasitas.
  • Culturas de fungos. Seu veterinário pode fazer uma cultura do cabelo para descartar dermatófitos (micose). Embora nem sempre seja pruriginosa, a micose às vezes pode causar arranhões nos animais e imitar outras doenças de pele. Uma pequena quantidade de cabelo é arrancada de uma lesão de pele, colocada no meio de crescimento e incubada por 10 dias a quatro semanas para observar o crescimento.
  • Exames de sangue e alergia. Seu veterinário pode optar por fazer exames de sangue para avaliar outros órgãos que possam afetar a pele, ou realizar testes de alergia ou rastrear alimentos, se houver suspeita de alergia.
  • Tratamento em profundidade

  • Anti-histamínicos. Esses medicamentos são muito menos úteis em cães do que em seres humanos e ajudarão significativamente apenas 25 a 30% dos casos. No entanto, são frequentemente prescritos, pois são medicamentos relativamente seguros quando comparados aos corticosteróides. Alguns cães respondem melhor a um anti-histamínico do que outro, então os veterinários podem experimentar dois ou três tipos diferentes antes de desistir deles.
  • Suplementos de ácidos graxos. Isso pode ajudar a aliviar o prurido, modulando a resposta imune e pode ser útil para o prurido crônico. Certos ácidos graxos, como o ácido eicosapentanóico encontrado nos óleos de peixe, ajudam a alterar a composição química dos mediadores produzidos durante a resposta alérgica, tornando-os menos inflamatórios. Como os anti-histamínicos, esses produtos nem sempre são úteis, mas são relativamente seguros. Alguns cães que não respondem aos anti-histamínicos podem se dar bem com uma combinação de anti-histamínicos e ácidos graxos.
  • Shampoo terapia. Os shampoos que contêm aveia coloidal são calmantes e, como são hidratantes, podem ser usados ​​com frequência sem secar a pele. Alguns shampoos à base de aveia contêm anestésicos tópicos ou corticosteróides tópicos que são seguros e ajudam ainda mais na redução do prurido.
  • Corticosteróides. Quando outras terapias não são eficazes, podem ser prescritos corticosteróides como a prednisona. Novamente, esses medicamentos podem ajudar em alguns casos, mas são menos eficazes em outros. Muitos efeitos colaterais associados aos corticosteróides restringem seu uso a longo prazo. Algumas delas incluem aumento da sede e fome, o que pode levar à obesidade e supressão do sistema imunológico, o que pode levar a infecções, irritação do estômago e danos ao fígado ou glândulas supra-renais. Os corticosteróides orais de ação curta são muito mais seguros do que os injetáveis ​​de ação prolongada, pois podem ser eliminados do corpo rapidamente, caso ocorram efeitos colaterais.
  • Acompanhamento de cães com prurido (coceira)

    Prurido pode ser um problema frustrante, porque existem muitas causas diferentes e, portanto, muitos tratamentos diferentes. Portanto, é extremamente importante que você permaneça em estreita comunicação com seu veterinário até que o problema seja resolvido. Além disso, você também deve fazer o seguinte:

  • Administre todos os medicamentos conforme as instruções.
  • Mantenha o pêlo do seu cão limpo e arrumado.
  • Observe atentamente as pulgas. A infestação por pulgas piora qualquer problema pruriginoso. Consulte seu veterinário para estabelecer um programa completo de controle de pulgas.
  • Observe o aparecimento de novas erupções cutâneas, áreas de perda de cabelo ou outras novas lesões que podem indicar problemas secundários, como pioderma, que podem exigir medicação adicional.